O efeito do respeito

O efeito do respeito

Um banqueiro sempre jogava uma moeda na canequinha de um mendigo sem uma perna que ficava à porta do banco. Mas, ao contrário da maioria das pessoas, o banqueiro sempre insistia em ficar com um dos lápis que o homem vendia.

“Você é um comerciante, dizia ao coitado. E eu sempre adquiro mercadoria de qualidade.”

Um dia, o aleijado não apareceu para mendigar naquele local e nunca mais voltou.

O tempo passou e o banqueiro se esqueceu do homem, até que entrou em um prédio e viu o homem que ficava à porta do banco, em uma pequena loja, da qual este era dono.

“Sempre desejei que o senhor passasse por aqui” —contou ao banqueiro o expedinte. Estou aqui hoje, em grande parte, graças ao senhor, pois sempre me dizia que eu era um comerciante. Comecei a pensar em mim mesmo dessa forma, em vez de me considerar um mendigo que ganhava esmolas. Comecei a vender lápis, muitos lápis. O senhor me ajudou a ter respeito próprio e me levou a olhar para mim mesmo de uma forma completamente diferente.

—Contado por Randy Stanford

O salvavidas – Os problemas pessoais de Susana eram imensos. Ela estava lidando com questões difíceis do passado. O marido não mais a amava e a família passava por dificuldades financeiras. Mesmo assim, conseguia manter uma boa aparência no serviço, apesar de estar pensando em se suicidar.

Um dia recebeu um cartão de Natal do chefe, no qual escreveu à mão: “Não sei o que seria de mim sem você. Muito obrigado por sua competência e solicitude.”

Ela comentou um tempo depois: “Coloquei aquele cartão numa moldura e o pendurei na cozinha de casa. É como uma placa que diz: ‘Você é legal’!”

Vamos lá! Envie aquele cartão. Escreva aquele bilhete. Talvez estará dando a alguém exatamente o ânimo que a pessoa precisa.

—David C. Egner

A incumbência – Deus coloca as pessoas na nossa vida de propósito, para que possamos ajudá-las a te sucesso e se tornarem tudo que Ele as criou para ser. A maioria das pessoas não atingirá todo seu potencial a menos que alguém acredite nelas. Isso significa que eu e você temos uma incumbência. Aonde quer que formos, devemos animar os demais, fortalecê-los e provocá-los a se superarem.  Devemos contribuir para que as pessoas melhorem de alguma forma. A Bíblia diz que o amor é bondoso. Em outra tradução encontramos: “O amor encontra formas de ser construtivo.” Em outras palavras, o amor procura formas de melhorar a vida das outras pessoas.

—Joel Osteen

Leave a Reply